FECHAR
19 de março de 2018
Voltar
Mercado Imobiliário

Mais 650 mil unidades do MCMV

 

 

O Ministério das Cidades anunciou, no início de fevereiro, as contratações de 650 mil novas unidades habitacionais para o Programa Minha Casa, Minha Vida, em todas as faixas de renda. Deste total, 130 mil unidades estarão dentro da Faixa 1 (contendo as contratações da modalidade Entidades e do Programa Nacional de Habitação Rural – PNHR), 70 mil unidades para a Faixa 1,5, outras 400 mil para a Faixa 2 e cerca de 50 mil novas moradias para a Faixa 3. Para isso, serão investidos R$ 9,7 bilhões do Orçamento Geral da União (OGU) e R$ 63 bilhões do Fundo de Garantia de Tempo de Serviço (FGTS).

Segundo o ministro Alexandre Baldy, cerca de 1,4 milhão de empregos serão criados com as novas obras. “Esse é um dos objetivos do programa: além de realizarmos o sonho da casa própria, vamos gerar emprego, reaquecendo a economia dos municípios, dando a oportunidade do trabalhador brasileiro colocar comida na mesa e dar mais dignidade à sua família”.

Só para São Paulo, serão 2.485 unidades habitacionais, divididas em 34 empreendimentos em todo o estado, sob um investimento total de R$ 290 milhões, sendo R$ 200 milhões do governo federal e R$ 86,9 milhões de contrapartida. O ministro das Cidades, Alexandre Baldy, esteve no Palácio dos Bandeirantes, sede do governo paulista, para autorizar a contratação, em parceria com o Programa Casa Paulista, do governo estadual.

Este novo tipo de parceria, envolvendo governo federal, estadual e municipal servirá de modelo para atacar o déficit habitacional no país. “Temos aqui um belo exemplo do esforço das três esferas do executivo, em união”, afirmou. O intuito, de acordo com Baldy,  é gerar emprego e renda através da promoção do desenvolvimento habitacional com as obras colocadas em prática, e levar o sonho da casa própria aos cidadãos paulistanos, paulistas e brasileiros.

Os municípios contemplados com os novos empreendimentos são: Adamantina (45 unidades habitacionais); Alto Alegre (88 UH’s); Álvaro de Carvalho (65 UH’s); Arealva (34 UH’s); Barão de Antonina (30 UH’s); Bom Sucesso de Itararé (75 UH’s); Braúna (96 UH’s); Buritizal (93 UH’s); Eldorado (21 UH’s); Espírito Santo do Turvo (52 UH’s); Guaiçara (98 UH’s); Guatapará (97 UH’s); Guzolândia (55 UH’s); Ibirarema (91 UH’s); Itariri (72 UH’s); Jacupiranga (79 UH’s); Lourdes (80 UH’s); Luís Antônio (70 UH’s); Manduri (56 UH’s); Mombuca (76 UH’s); Morungaba (100 UH’s); Narandiba (100 UH’s); Ouro Verde (100 UH’s); Pedrinhas Paulista (53 UH’s); Piquerobi (80 UH’s); Platina (81 UH’s); Presidente Alves (100 UH’s); Santa Salete (48 UH’s); Santo Antônio do Aracanguá (65 UH’s); Santo Antônio do Jardim (98 UH’s); São João do Pau d’Alho (50 UH’s); Sarutaiá (91 UH’s); Turiúba (86 UH’s); e Zacarias (60 UH’s).

Produção editorial: Revista Grandes Construções – Desenvolvido e atualizado por Diagrama Marketing Editoral