FECHAR
FECHAR
07 de dezembro de 2011
Voltar
Gestão Pública

Obras da BR-101 Sul em Santa Catarina na reta final

As obras da BR-101 Sul, trecho que corta o estado de Santa Catarina, com 238,5 km de extensão, entraram na reta final. Segundo o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), todos os contratos da Fase I já foram assinados. O trecho vai de Palhoça a Passo de Torres/Divisa entre Santa Catarina e Rio Grande do Sul, do km 216,5 ao km 465 da rodovia. Do total de R$ 1,9 bilhão previstos para serem investido, R$ 1,6 bilhão já foram aplicados. O valor inclui 22 programas ambientais, com nove lotes de pista e obras de artes especiais, e outros cinco lotes de obras de artes especiais.

O empreendimento entra agora na Fase II, que inclui serviços de engenharia, como a Transposição do Morro dos Cavalos, no trecho que vai do km 232 ao km 235, no município de Palhoça. Inclui ainda a Travessia de Cabeçuda e Canal Laranjeiras, na Lagoas de Imarui e Santo Antonio, no km 308 ao km 315,9 no município de Laguna; e a Transposição do Morro do Formigão, no km 337,7 ao 338,5 km, no município de Tubarão, tendo extensão total 238,5km.

Na Fase I foram executados serviços de escavação de 26,31 milhões m³ de materiais, e concluída a terraplenagem de 218,3 km de nova pista e 169 km de ruas laterais. Está praticamente pronta a pavimentação de 191,8 km de pistas e de 169 km de ruas laterais, que empregaram 2,28 milhões toneladas de Concreto Betuminoso Usinado a Quente. Um conjunto considerável de obras de arte também já foi executada. Fazem parte desse grupo 87 viadutos com oito deles em andamento –, além de 27 pontes no total –  umas ainda em construção. Outras 12 pontes foram reforçadas e a obra de reforço de outra ponte está em andamento. O trecho está recebendo a sinalização definitiva de acordo com o cronograma de execução, bem como estão sendo implantadas passarelas e os dispositivos de proteção e segurança.

As dificuldades do empreendimento foram comuns a vários lotes, explica o Dnit, como alta densidade de tráfego em diversos pontos, que implicava na velocidade das obras, e a necessidade de alargamento da pista para ambos os lados em vários segmentos. Extensões consideráveis de solos de baixa resistência e ocorrência de encostas instáveis foram outros pontos críticos enfrentados. Além disso, as chuvas abundantes e atípicas, verificadas em 2010, comprometeram entre 42% e 46% do tempo hábil para obras.

Houve a necessidade de atualização dos projetos e a licitação gerou gr


As obras da BR-101 Sul, trecho que corta o estado de Santa Catarina, com 238,5 km de extensão, entraram na reta final. Segundo o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), todos os contratos da Fase I já foram assinados. O trecho vai de Palhoça a Passo de Torres/Divisa entre Santa Catarina e Rio Grande do Sul, do km 216,5 ao km 465 da rodovia. Do total de R$ 1,9 bilhão previstos para serem investido, R$ 1,6 bilhão já foram aplicados. O valor inclui 22 programas ambientais, com nove lotes de pista e obras de artes especiais, e outros cinco lotes de obras de artes especiais.

O empreendimento entra agora na Fase II, que inclui serviços de engenharia, como a Transposição do Morro dos Cavalos, no trecho que vai do km 232 ao km 235, no município de Palhoça. Inclui ainda a Travessia de Cabeçuda e Canal Laranjeiras, na Lagoas de Imarui e Santo Antonio, no km 308 ao km 315,9 no município de Laguna; e a Transposição do Morro do Formigão, no km 337,7 ao 338,5 km, no município de Tubarão, tendo extensão total 238,5km.

Na Fase I foram executados serviços de escavação de 26,31 milhões m³ de materiais, e concluída a terraplenagem de 218,3 km de nova pista e 169 km de ruas laterais. Está praticamente pronta a pavimentação de 191,8 km de pistas e de 169 km de ruas laterais, que empregaram 2,28 milhões toneladas de Concreto Betuminoso Usinado a Quente. Um conjunto considerável de obras de arte também já foi executada. Fazem parte desse grupo 87 viadutos com oito deles em andamento –, além de 27 pontes no total –  umas ainda em construção. Outras 12 pontes foram reforçadas e a obra de reforço de outra ponte está em andamento. O trecho está recebendo a sinalização definitiva de acordo com o cronograma de execução, bem como estão sendo implantadas passarelas e os dispositivos de proteção e segurança.

As dificuldades do empreendimento foram comuns a vários lotes, explica o Dnit, como alta densidade de tráfego em diversos pontos, que implicava na velocidade das obras, e a necessidade de alargamento da pista para ambos os lados em vários segmentos. Extensões consideráveis de solos de baixa resistência e ocorrência de encostas instáveis foram outros pontos críticos enfrentados. Além disso, as chuvas abundantes e atípicas, verificadas em 2010, comprometeram entre 42% e 46% do tempo hábil para obras.

Houve a necessidade de atualização dos projetos e a licitação gerou grandes descontos pela empresa, que agora têm dificuldade de executar a obra. Isso levou à rescisão de dois contratos no lote 29, e a necessidade de realização de nova licitação. Por sua vez, no lote 25 ocorreu a troca da liderança do consórcio para restabelecer serviços e evitar outra rescisão, atendendo as exigências de órgãos ambientais, demandas dos órgãos fiscalizadores e o ritmo do atendimento efetuado pelas concessionárias de serviços públicos.

Túneis têm projeto básico pronto

A Fase II contempla a construção dos túneis Morros dos Cavalos. O projeto básico de engenharia dos túneis e sistema viário complementar nos segmentos da travessia, município de Palhoça, foi concluído e o processo entra em fase de aprovação dos estudos ambientais para incorporação de subprogramas relativos ao projeto. A licitação e a contratação da obra só serão efetivamente encaminhadas após a conclusão do projeto executivo, que por sua vez depende do licenciamento ambiental.

Outra importante obra da Fase II é a Ponte Lagoa de Cabeçuda, dividida em dois lotes. O lote 1 constitui-se de  uma travessia em área urbana de Laguna, e o lote 2, uma ponte a cargo do consórcio Camargo Correia, de valor de  contrato de R$ 597 milhões.  O Túnel Morro do Formigão, de valor estimado de R$ 57 milhões, aguarda nova licitação. Na licitação anterior, as empresas participantes do processo foram avaliadas como inabilitadas pela comissão de Licitação.

Situação  das obras de arte

No Lote 22, na extensão 28,5 km, entre Palhoça e Rio da Madre, está com 79,21% de pavimentação alcançando 23 km de pista pavimentada. Cerca de 85,11% das obras de arte especiais estão prontas, além de quatro viadutos prontos e outros quatro em andamento. A Passarela do Morro dos Cavalos está concluída. Ainda falta concluir 2,5 km de terraplenagem e 5,5 km de pavimentação.  A previsão é que o trecho esteja pronto até dezembro deste ano.

Está sendo realizada a restauração do segmento Viaduto de Santo Amaro da Imperatriz e Ponte sobre o rio Aririu, com a execução da capa final. O encaixe com a ponte do Aririu está em fase de conclusão. O viaduto do Furadinho já teve a pavimentação dos encontros concluída, enquanto o Viaduto do Pontal (duplo) está com as vigas lançadas no lado esquerdo, e blocos em execução, e execução da armação da laje. O Viaduto da Enseada do Brito está com o lado direito concluído, com terra armada do lado esquerdo e blocos em execução.  O viaduto Pinheira está pronto.

O lote 23, de 26,7 km, que vai do Rio da Madre ao Rio Araçatuba está com todas as obras de arte especial, totalizando oito viadutos, com 88,01% da pavimentação já pronta.  A Ponte sobre o Rio da Penha está com a capa de rolamento concluída. Encontram-se liberados ao tráfego 22 quilômetros de pista dupla desse segmento. Resta executar o túnel, cujo sistema operacional encontra-se em andamento, assim como a restauração do Morro Agudo.  O túnel está com a pavimentação concluída, assim como a instalação do sistema operacional. Restam serviços de acabamento no aterro do emboque Sul.

O lote 24, de 28,3 km, em Araçatuba, com nove viadutos, está totalmente pronto. O lote 25, de 22,0 km, de Itapirubá a Capivari, está com quase 50% da pavimentação pronta, com três viadutos prontos e outros quatro em obras. Dois viadutos ainda não foram iniciados.

Algumas obras foram retomadas como a construção de viaduto duplo de acesso a Capivari de Baixo e a concretagem de mais duas vigas no canteiro de obras, que totalizarão 18 vigas.  Foi concluída a pavimentação das ruas laterais esquerda e direita para permitir o desvio do tráfego, possibilitando o início das fundações do viaduto de acesso à cidade de Capivari de Baixo (foto).

No lote 26, de 28,6 km, de Capivari a Sangão, a pavimentação da via está pronta em quase 95% do trecho, com os nove viadutos do segmento já prontos. A previsão é de que esse trecho fique pronto em dezembro. O lote 27, que se compõe de 28,5 km de Sangão a Criciúma, pronto, inclusive os oito viadutos do trecho, assim como o Lote 28, que vai de Cricíuma a Araranguá, de seis viadutos.

No lote 29, de 28,0 km, de Araranguá a Sombrio (Rio da Laje), o contrato foi rescindido duas vezes e nova licitação feita, incluindo a execução de um elevado, o Maracajá, no Contorno de Araranguá, que foi uma reivindicação da comunidade. O Consórcio Construcap/F.Guedes/Mac venceu a licitação e iniciou as obras em final de novembro de 2010. As obras das passagens inferiores desse trecho estão em andamento, com construção de estruturas e terraplenagem.  O Contorno Oeste de Araranguá, de 5,7 km, terá um viaduto duplo, de 2.200 m, com obras da infra, meso e superestruturas em andamento.  O prosseguimento dos encontros da passagem inferior de acesso à Sanga da Toca II.

No Lote 30, a extensão de 28,0 km de Sombrio à divisa SC/RS está concluída. Ali, foram executados nove viadutos, duas pontes e uma ponte reforçada e alargada.

No Lote 31 – constituído por 31 pontes – e no Lote 32, onde situa-se a ponte sobre o Rio Araçatuba entre um conjunto de seis pontes, os trabalhos foram concluídos.  Os trechos segmento (lotes 34, 35, 36) também estão em fase de encerramento dos serviços.