FECHAR
FECHAR
07 de dezembro de 2011
Voltar
Gestão Pública

Obras na BR-101 Nordeste seguem acelerada

Cerca de 5 mil homens, contratados por 21 construtoras agrupadas em vários consórcios, e a serviço de dois Batalhões de Engenharia do Exército, atuam na região

Avançam em ritmo acelerado as obras de duplicação da BR-101  Nordeste. Da cidade de Palmares, em Pernambuco, até a divisa dos estados de Sergipe e Bahia, a rodovia tem 480 km de extensão, dos quais 411 km estão em obras de duplicação, iniciadas em julho do ano passado. As intervenções, divididas em 11 lotes, encontram-se em etapas variadas, do ponto de vista de avanço das obras, que vão desde a supressão vegetal até a execução da pavimentação em concreto, passando por todas as fases de terraplenagem.

Nos quatro lotes de Obras de Arte Especiais, estão em execução 40 pontes e 11 viadutos. Alguns estão na fase de estaqueamento, outros com a mesoestrutura adiantada. Algumas pontes estão com a superestrutura em fase de conclusão. Cerca de 5 mil pessoas trabalham nesses 15 lotes executados, contratadas pelas 21 construtoras agrupadas em vários consórcios. Além das construtoras, dois Batalhões de Engenharia do Exército atuam na região.

De acordo com a direção do DNIT-PB, até o final deste ano deverá ser inaugurado oficialmente o primeiro trecho duplicado da BR-101 – Corredor Nordeste, numa extensão de 74 quilômetros, compreendidos entre a entrada para o município de Lucena e a divisa com o estado do Rio Grande Norte, dentro dos 129 quilômetros que cortam o estado da Paraíba.

O trecho a ser inaugurado já se encontra aberto ao público e é dotado de nova sinalização, ajudando a diminuir o tempo de viagem entre João Pessoa e a capital potiguar em mais de 40 minutos, conforme depoimentos colhidos junto a motoristas que trafegam diariamente entre as duas capitais. As obras beneficiam diretamente municípios como Messias, Terra Nova, Maceió, São Miguel dos Campos, Teotônio Vilela, entre outros em Alagoas. Em Sergipe, isso ocorre em Propriá, Maruim, Laranjeiras, Aracaju, Itaporanga D’Ajuda e Estância. Para todos eles, a duplicação significa não só a oferta temporária de emprego e mais segurança, como também o incremento do turismo e de investimentos com a chegada de novas empresas atraídas pelos benefícios da duplicação.

Além de tais benefícios que virão com a duplicação, os 13 mil habitantes de Novo Lino/AL e os 15 mil moradores de Xexéu/PE, atualmente sofrem menos interferência das obras. Nos dois municípios, a


Cerca de 5 mil homens, contratados por 21 construtoras agrupadas em vários consórcios, e a serviço de dois Batalhões de Engenharia do Exército, atuam na região

Avançam em ritmo acelerado as obras de duplicação da BR-101  Nordeste. Da cidade de Palmares, em Pernambuco, até a divisa dos estados de Sergipe e Bahia, a rodovia tem 480 km de extensão, dos quais 411 km estão em obras de duplicação, iniciadas em julho do ano passado. As intervenções, divididas em 11 lotes, encontram-se em etapas variadas, do ponto de vista de avanço das obras, que vão desde a supressão vegetal até a execução da pavimentação em concreto, passando por todas as fases de terraplenagem.

Nos quatro lotes de Obras de Arte Especiais, estão em execução 40 pontes e 11 viadutos. Alguns estão na fase de estaqueamento, outros com a mesoestrutura adiantada. Algumas pontes estão com a superestrutura em fase de conclusão. Cerca de 5 mil pessoas trabalham nesses 15 lotes executados, contratadas pelas 21 construtoras agrupadas em vários consórcios. Além das construtoras, dois Batalhões de Engenharia do Exército atuam na região.

De acordo com a direção do DNIT-PB, até o final deste ano deverá ser inaugurado oficialmente o primeiro trecho duplicado da BR-101 – Corredor Nordeste, numa extensão de 74 quilômetros, compreendidos entre a entrada para o município de Lucena e a divisa com o estado do Rio Grande Norte, dentro dos 129 quilômetros que cortam o estado da Paraíba.

O trecho a ser inaugurado já se encontra aberto ao público e é dotado de nova sinalização, ajudando a diminuir o tempo de viagem entre João Pessoa e a capital potiguar em mais de 40 minutos, conforme depoimentos colhidos junto a motoristas que trafegam diariamente entre as duas capitais. As obras beneficiam diretamente municípios como Messias, Terra Nova, Maceió, São Miguel dos Campos, Teotônio Vilela, entre outros em Alagoas. Em Sergipe, isso ocorre em Propriá, Maruim, Laranjeiras, Aracaju, Itaporanga D’Ajuda e Estância. Para todos eles, a duplicação significa não só a oferta temporária de emprego e mais segurança, como também o incremento do turismo e de investimentos com a chegada de novas empresas atraídas pelos benefícios da duplicação.

Além de tais benefícios que virão com a duplicação, os 13 mil habitantes de Novo Lino/AL e os 15 mil moradores de Xexéu/PE, atualmente sofrem menos interferência das obras. Nos dois municípios, a rodovia ganha um novo traçado. Em Novo Lino, a variante em pista dupla tem cerca de 1,5 quilômetro. Em Xexéu, o contorno é de 3 km. Com isso, o dia a dia dos moradores não será mais agitado pelo tráfego intenso da rodovia.

Há um trecho de 16 quilômetros da BR-101/SE já duplicado - entre a localidade de Pedra Branca e a BR-235. Já nos 53 quilômetros entre Estância/SE e a divisa com a Bahia, os trabalhos terão início em breve. Eles serão executados por meio de convênio entre o DNIT e o governo do Estado. Incluindo este último lote, o investimento do Governo Federal para duplicar os 464 quilômetros da rodovia ultrapassa os R$ 2,4 bilhões, com recursos do PAC.

Devido aos diferentes fatores como extensão e complexidade, os lotes têm datas diferentes de conclusão, definidas nos contratos do DNIT com as empresas. De acordo com o contrato de maior prazo, a duplicação deve estar concluída entre Palmares e a divisa SE/BA até dezembro de 2012.

Programa de Modernização e Adequação

O Programa de Modernização, Adequação de Capacidade e Restauração da BR–101/NE, com uma extensão de 129 km no estado da Paraíba, é constituída das construções de uma nova pista em concreto de cimento, de viadutos, de passagens superiores, de diversas passarelas para pedestres e ruas marginais, além da restauração da pista antiga, o reforço e o alargamento das pontes e dos viadutos existentes, beneficiando mais de doze municípios.

No estado da Paraíba as obras foram divididas em três lotes de construção: Lote 3 da Divisa RN/PB até Mamanguape com 40,4km de extensão, Lote 4 de Mamanguape até a entrada para Lucena com 33,7km de extensão e Lote 5 com 54,9km de extensão, da entrada de Lucena até a Divisa PB/PE.

O Lote 3 foi construído pelo consórcio C. R. Almeida/Via/Emsa, o Lote 4 pelo consórcio ARG/Egesa e o Lote 5 foi concedido, mediante convênio, ao Exército Brasileiro através do 2º BEC do 1º Grupamento de Engenharia de Construção.

Para a execução desse programa, o Ministério dos Transportes, por meio do DNIT, contratou empresas especializadas para a construção, supervisão técnica e controle de qualidade, para a desapropriação e relocação de famílias atingidas