12 de julho de 2013
Voltar
Matéria de Capa - Construction Expo 2013

Revolução sobre trilhos

O Brasil transportou em trens e metrôs 2,6 bilhões passageiros em 2012. Esse total representa um crescimento de 8% em relação a 2011. A previsão para 2013 é de que esse número seja 10% superior. Mas, a construção de sistemas de transporte público sobre trilhos tem crescido no mesmo ritmo que a demanda? O transporte e a mobilidade urbana nos grandes centros urbanos brasileiros, questões que deflagraram a mobilização popular, com manifestações nunca vistas antes, em várias cidades do País, estiveram no centro das mais disputadas discussões travadas durante o Construction congresso.

Para Peter Alouche, consultor de Transporte da Headway Engenharia, que participou do painel Perspectivas do País no Setor Ferroviário, depois de um longo período sem investimentos significativos, o Brasil vive um período de fortes investimentos no transporte sobre trilhos, em parte impulsionado pelos grandes eventos desportivos e pelo aquecimento da economia. “Depois de tanto desprezar os transportes sobre trilhos, o País acordou para a importância da opção ferroviária. Além de não poluir, o sistema é guiado e pode ser controlado, tornando-se muito mais confiável”, ressalta o especialista, que listou as principais obras neste setor, em andamento no País.

Ele observou que, passados os grandes eventos esportivos, o que vai ficar são as inovações no transporte de passageiros. Os exemplos foram inúmeros, entre eles a extensão do metrô e o monotrilho em São Paulo; a Linha 4 do metrô carioca, além do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) e o aeromóvel, em Porto Alegre; o metrô de Curitiba e o monotrilho de Manaus, entre muitos outros.

Alouche defendeu o projeto do Trem de Alta Velocidade (TAV) Rio, São Paulo e Campinas. “Eu sou apaixonado pelo trem de alta velocidade”, ressaltou. Segundo o consultor, o Brasil somente será uma grande potência mundial com a implantação do TAV.

No mesmo painel, Vicente Abate, presidente da Associação Brasileira da Indústria Ferroviária (Abifer), complementou que o Brasil vive uma nova revolução no transporte sobre trilhos também no transporte de carga. Ele relatou que atualmente a malha ferroviária conta com 30 mil quilômetros para transporte de carga e 1 mil para o transporte de passageiros. Até 2020 a previsão é aumentar estes números para 40 mil e 4 mil, respectivamente.

Munido de gráficos, estatísticas e fotografias, Abate mostrou a evolução histórica da produção dos equipamentos oferecidos pela indústria nacional, que abrange toda a cadeia produtiva do setor.