FECHAR
FECHAR
08 de julho de 2020
Voltar

CENÁRIO

Baixa da Selic e aumento da oferta de financiamentos atraem olhar de investidores para imóveis

Aquecimento das vendas do mercado imobiliário favorece segmento de luxo. Só em Florianópolis são 130 mansões que custam mais de R$ 10 milhões à venda
Fonte: Assessoria de Imprensa

Embora seja sonho para a maioria, o mercado imobiliário de luxo é uma realidade para muitos moradores de Santa Catarina. São prova disso Florianópolis e Balneário Camboriú, cidades mundialmente conhecidas por suas belezas naturais e festas badaladas.

Uma rápida busca no portal ZAP imóveis – referência no Brasil para pesquisa de aluguéis e vendas de imóveis – mostra mais de 130 casas à venda na capital catarinense com preço a partir de R$ 10 milhões. Ao pesquisar por Balneário, o destaque são pelo menos 140 apartamentos à venda com o mesmo critério no portal.

No condomínio St. Barth, que fica no bairro Cacupé, próximo ao centro de Florianópolis, o preço do metro quadrado supera R$ 15 mil. Momentos de crise como o atual, devido à pandemia da Covid-19, podem resultar em perdas econômicas para muitas pessoas, mas também oferecem oportunidades de negócio.

Por exemplo, uma das mansões desse condomínio está à venda por R$ 12,5 milhões, porque o proprietário deseja voltar a morar mais próximo da família, na Europa.

Conforme dados divulgados em junho no site da Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias (Abrainc), esta parece mesmo ser uma boa hora para comprar ...


Embora seja sonho para a maioria, o mercado imobiliário de luxo é uma realidade para muitos moradores de Santa Catarina. São prova disso Florianópolis e Balneário Camboriú, cidades mundialmente conhecidas por suas belezas naturais e festas badaladas.

Uma rápida busca no portal ZAP imóveis – referência no Brasil para pesquisa de aluguéis e vendas de imóveis – mostra mais de 130 casas à venda na capital catarinense com preço a partir de R$ 10 milhões. Ao pesquisar por Balneário, o destaque são pelo menos 140 apartamentos à venda com o mesmo critério no portal.

No condomínio St. Barth, que fica no bairro Cacupé, próximo ao centro de Florianópolis, o preço do metro quadrado supera R$ 15 mil. Momentos de crise como o atual, devido à pandemia da Covid-19, podem resultar em perdas econômicas para muitas pessoas, mas também oferecem oportunidades de negócio.

Por exemplo, uma das mansões desse condomínio está à venda por R$ 12,5 milhões, porque o proprietário deseja voltar a morar mais próximo da família, na Europa.

Conforme dados divulgados em junho no site da Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias (Abrainc), esta parece mesmo ser uma boa hora para comprar imóveis. Isso devido aos juros baixos, com a Selic em 2,25% ao ano – é o menor valor da história.

Além da compra facilitada, o investidor ganha tanto com a renda do aluguel quanto com a valorização do bem em si.

De acordo com a Abrainc, nos últimos 10 anos os imóveis tiveram valorização anual média de 9,4%, configurando um rendimento 44% superior ao gerado pela Poupança, por exemplo.

A especialista em imóveis de alto padrão Ana Paula Dalcin, que atua desde 2015 no mercado de Florianópolis e tem empresa de negócios imobiliários com seu nome, percebe o aquecimento nas vendas. Inclusive, cita que a região Sul do Brasil foi a que registrou maior retorno de compradores potenciais, segundo levantamento da Datastore, que é especializada em pesquisas de mercado com abrangência nacional para o setor imobiliário.

"Os dados mostram que apenas 5% desistiram das compras previstas para maio, sendo que o índice foi de 10% em abril. Ainda, 95% querem comprar em até 36 meses", destaca.

Ana Paula salienta que há muitas oportunidades especialmente para quem deseja fazer investimento ou upgrade. “É o melhor momento para financiar um imóvel. Inclusive não me recordo de tantos financiamentos de imóveis de alto padrão antes. A baixa taxa de juros está movimentando o mercado”.

Esse senso de oportunidade, seja para realização do sonho da casa própria ou para investimento, reflete-se no Índice FipeZap, que acompanha mensalmente o preço médio de venda de imóveis residenciais em 50 cidades.

Segundo o último levantamento, divulgado em 2 de junho, foi mantida no Brasil a tendência pré-pandemia com avanço de 0,23% em maio. A alta acumulada é de 0,92% no ano, impulsionada pelo comportamento dos preços em Florianópolis (+3,67%), Curitiba (+2,72%) e Campo Grande (+2,56%).