FECHAR
11 de junho de 2020
Voltar

TENDÊNCIAS

Bentley Systems libera o acesso total aos softwares Legion Simulator e OpenBuildings Station

Por meio dos softwares é possível simular o movimento de pessoas e testar o desempenho do espaço para reduzir os riscos na reabertura de instalações públicas
Fonte: Assessoria de Imprensa

A Bentley Systems, Incorporated, fornecedora de serviços abrangentes de software e gêmeos digitais para o avanço de projeto, construção e operações de infraestrutura, anunciou que liberou o acesso aos softwares Legion Simulator e OpenBuildings Station Designer sem cobrança de taxas de licenciamento, até 30 de setembro de 2020, para que os gestores de instalações possam incorporar metodologias de simulação de pedestres junto a suas equipes de planejamento, projeto e operações.

Com o distanciamento social e o gerenciamento de aglomerações como foco das preocupações globais, os softwares OpenBuildings Station Designer e Legion Simulator podem ajudar proprietários de estações, empresas de planejamento e projeto, e operadores de instalações a desenvolver modelos, simular o movimento e analisar o tráfego de pessoas, e otimizar a utilização do espaço dos ativos de infraestrutura, como estações de trem e metrô, aeroportos, complexos comerciais e de varejo, hospitais e estádios.

O ambiente BIM do OpenBuildings Station Designer fornece contexto 3D para a simulação de pedestres incluída no Legion, para criar um gêmeo digital operacional para melhorar a segurança, a eficiência e a segurança, enquanto ...


A Bentley Systems, Incorporated, fornecedora de serviços abrangentes de software e gêmeos digitais para o avanço de projeto, construção e operações de infraestrutura, anunciou que liberou o acesso aos softwares Legion Simulator e OpenBuildings Station Designer sem cobrança de taxas de licenciamento, até 30 de setembro de 2020, para que os gestores de instalações possam incorporar metodologias de simulação de pedestres junto a suas equipes de planejamento, projeto e operações.

Com o distanciamento social e o gerenciamento de aglomerações como foco das preocupações globais, os softwares OpenBuildings Station Designer e Legion Simulator podem ajudar proprietários de estações, empresas de planejamento e projeto, e operadores de instalações a desenvolver modelos, simular o movimento e analisar o tráfego de pessoas, e otimizar a utilização do espaço dos ativos de infraestrutura, como estações de trem e metrô, aeroportos, complexos comerciais e de varejo, hospitais e estádios.

O ambiente BIM do OpenBuildings Station Designer fornece contexto 3D para a simulação de pedestres incluída no Legion, para criar um gêmeo digital operacional para melhorar a segurança, a eficiência e a segurança, enquanto atenua os riscos.

Segundo a empresa, o Legion Simulator ajuda os usuários a resolver novos desafios de planejamento e operações em: validar planos de distanciamento social, ajudando a garantir operações seguras; garantir a maximização do espaço, a distribuição de atividades e a saída/entrada controlada; modelar estratégias seguras e confortáveis para encontrar rotas e planos de evacuação; e fornecer revisões virtuais e colaborativas de planejamento, projeto e operações.

Além disso, o Legion Simulator e o OpenBuildings Station Designer oferecem os benefícios contínuos a longo prazo de um ambiente de colaboração BIM que evita silos de dados, atrasos de coordenação e outras limitações resultantes da separação dos fluxos de trabalho de planejamento e design.

“Estamos passando por momentos únicos e as mudanças serão uma realidade constante nos próximos meses e anos. O OpenBuildings Station Designer e o Legion Simulator da Bentley permitem que projetistas, arquitetos, engenheiros e operadores apliquem abordagens digitais duplas para resolver os desafios atuais de projeto e operação com mais rapidez, eficiência e segurança em estações ferroviárias e de metrô, aeroportos e outros prédios e instalações públicas," afirma Ken Adamson, Vice-Presidente de Integração de Design da Bentley.

“No Brasil, o uso da Legion pela CPTM em São Paulo é estratégico para o desenvolvimento de novos projetos de estações e ajuda a resolver problemas de fluxo de passageiros nas estações existentes e situações operacionais em grandes eventos e acontecimentos, tornando a aplicação indispensável.”, disse Fernando Galego Boselli, Arquiteto da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos.