FECHAR
FECHAR
16 de abril de 2020
Voltar

MERCADO

Caixa anuncia medidas para o mercado imobiliário

Segundo a advogada Daniele Akamine as medidas podem beneficiar famílias que perderam renda e emprego devido à pandemia do novo Coronavírus
Fonte: Assessoria de Imprensa

O novo pacote de medidas para o mercado imobiliário no valor de R$ 43 bilhões anunciado pela Caixa pode dar um fôlego a mais para quem tem um financiamento imobiliário com o banco e para empresas do setor, como construtoras e incorporadoras.

A advogada Daniele Akamine, da Akamines Advogados e Negócios Imobiliários e especialista em Economia da Construção Civil ressalta que as medidas podem beneficiar famílias que perderam renda e emprego devido à pandemia do novo Coronavírus.

“De acordo com a instituição, para pessoas físicas, haverá prazo de carência de 180 dias em novos contratos, pagamento parcial dos encargos por 90 dias, liberação de até 2 parcelas na construção individual sem vistoria e negociação de contratos em atraso de 61 dias a 180 dias, com incorporação de encargos e pausa concomitante”, explica a advogada.

Daniele esclarece ainda que pessoas que têm um financiamento imobiliário em outras instituições financeiras e que perderam renda ou emprego nesse período devem ficar atentas, pois caso não consigam pagar três prestações do imóvel, o mesmo pode ser levado à leilão.

“A situação é crítica e as pessoas devem focar no ...


O novo pacote de medidas para o mercado imobiliário no valor de R$ 43 bilhões anunciado pela Caixa pode dar um fôlego a mais para quem tem um financiamento imobiliário com o banco e para empresas do setor, como construtoras e incorporadoras.

A advogada Daniele Akamine, da Akamines Advogados e Negócios Imobiliários e especialista em Economia da Construção Civil ressalta que as medidas podem beneficiar famílias que perderam renda e emprego devido à pandemia do novo Coronavírus.

“De acordo com a instituição, para pessoas físicas, haverá prazo de carência de 180 dias em novos contratos, pagamento parcial dos encargos por 90 dias, liberação de até 2 parcelas na construção individual sem vistoria e negociação de contratos em atraso de 61 dias a 180 dias, com incorporação de encargos e pausa concomitante”, explica a advogada.

Daniele esclarece ainda que pessoas que têm um financiamento imobiliário em outras instituições financeiras e que perderam renda ou emprego nesse período devem ficar atentas, pois caso não consigam pagar três prestações do imóvel, o mesmo pode ser levado à leilão.

“A situação é crítica e as pessoas devem focar no bem-estar e na saúde num momento como este, seguindo as recomendações das autoridades e órgãos de saúde. Mas por outro lado, não podem descuidar do financiamento imobiliário, pois podem correr o risco de perder seus imóveis. É muito importante verificar com a instituição que financiou o imóvel se existe alguma política de suspensão ou renegociação de contratos”, alerta.