FECHAR
22 de março de 2018
Voltar

Transporte

Campinas caminha para ter modelo de mobilidade urbana sustentável

Fonte: DCI

Por meio de sua Empresa Municipal de Desenvolvimento (Emdec), a Prefeitura de Campinas (SP) acaba de formalizar um acordo de cooperação técnica com a empresa chinesa BYD, fabricante de veículos elétricos, e a CPFL Energia visando a criação de um modelo de Mobilidade Elétrica no sistema de transporte público coletivo da cidade.

Esse compromisso é mais um passo efetivo na direção da construção de uma condição de transportes dentro de um modelo de Mobilidade Urbana Sustentável no município. A ideia é gerar uma ação positiva para o meio ambiente e, também, influenciar os usuários do transporte público.

O prefeito de Campinas, Jonas Donizette, enfatizou a importância desse projeto no qual se promove a substituição de um combustível fóssil por fontes de energia limpa. "A adoção de ônibus não poluente representa um novo modelo de cidade que está sendo criado aqui", diz.

Donizette disse ainda que o acordo de cooperação técnica representa a oportunidade de colocar no papel algo que funcione para a vida das pessoas e, inclusive, pode servir de modelo para outras cidades brasileiras. Pelo acordo assinado, a Emdec será responsável por fornecer informações referentes as linhas de ônibus, trajetos, quantidade de veículos e custo da tarifa a ser aplicada.

Caberá a BYD fornecer informações referentes a ônibus elétricos (produção, custo, manutenção e infraestrutura para recarga). Já a CPFL fornecerá informações sobre a infraestrutura elétrica necessária para o carregamento dos ônibus.

Sustentabilidade

A vice-presidente da BYD Global, Stella Li, destacou a importância desse projeto para a cidade. “Campinas constrói seu sonho, se tornando uma cidade sustentável”, enfatizou a executiva. O vice-presidente de Operações Reguladas da CPFL Energia, Luis Henrique Ferreira Pinto, reiterou a importância do projeto e o desafio para a CPFL. "A empresa tem um grande desafio de suprir a energia elétrica para um projeto audacioso, que tem uma visão de futuro”, afirmou.

O secretário de Transportes e presidente da Emdec, Carlos José Barreiro, explicou que os resultados do trabalho já serão utilizados pela Emdec na futura “Área Branca” e no BRT. A chamada “Área Branca” será uma área na região central, com aproximadamente 3 km² e perímetro de 7 km. Terá a circulação de veículos do transporte coletivo somente movidos por energia limpa.

“A cidade de Campinas terá um sistema de mobilidade inovador, que atenda todos os cidadãos, aumentando as possibilidades de escolhas para os deslocamentos das pessoas na cidade, com transporte público confiável e seguro, utilização de mobilidade ativa e redução nas emissões de poluentes”, afirmou Barreiro.

Produção editorial: Revista Grandes Construções – Desenvolvido e atualizado por Diagrama Marketing Editoral