FECHAR
29 de March de 2018
Voltar

Infraestrutura #

Construção uruguaia é inédita no mundo da arquitetura

Uruguai inova e constrói ponte com formato de anel. Sua estrutura simboliza a aliança entre dois departamentos/ estados: Rocha e Maldonado, que possuem um entorno mágico como a área protegida da Lagoa Garzón (Laguna Garzón). Sua diversidade biológica e a vista panorâmica tornam o local imperdível para o turista.
Fonte: Assessoria de Imprensa

Silêncio, calma e brisa é o que sentem os visitantes ao chegar a “Laguna Garzón” e contemplar a panorâmica vista da reserva natural. Do horizonte se vê a silhueta dos esportistas que praticam o Kitesurfe, Windsurfe ou Stand Up Paddles sobre as águas da linda lagoa – a exceção dos esportistas náuticos a motor, devido a proibição por se tratar de uma área protegida (http://www.kiteywindsurflaura.com/).

Desde a construção, em dezembro de 2015, da criativa e original obra arquitetônica (mede 5 metros largura e 323 de comprimento ou longitude) se experimenta a fusão entre arquitetura e beleza natural no local. Sua aparência de anel sustentado é um elemento típico do lugar. A funcionalidade e encanto da sua forma está na lenta circulação dos carros, sua altura é suficiente para permitir o cruzamento de embarcações, permitindo que os visitantes cruzem aproveitando a paisagem.

COMO CHEGAR À PONTE “LAGUNA GARZÓN”?

Da cidade de Rocha, capital do departamento, basta pegar a rota 9 sentido sudoeste (em direção a Montevidéu), são aproximadamente 20 km, logo dirigir por 12 km ao longo da estrada até a Rota 10. Aí, é só entrar à direita e voltar na ponte “Laguna Garzón”. Além disso, pode-se chegar até lá, pelos balneários “El Caracol”, “Costa Bonita” e “El Bonete”.

DIVERSIDADE

A região de grande diversidade biológica, tem mais de 9.500 hectares terrestre e mais de 27 mil de superfície marinha.

É possível observar ali a Gaivota “Cangrejera”, a ave “Playerito Canela”, os Cines de Pescoço Negro e o Flamenco Austral. Além disso, das aves “Chorlo Pampa” e o “Playero de Rabadilla Blanca”, migradores e espécies que se reproduzem na América do Norte e que migram regularmente para o sul durante a época de não reprodutiva. Além disso, na área habitam os sapos de Darwin, répteis, o cervo “Guazubirá”, o morcego rabo de rato ou “Murcielago Cola de Ratón”, a tartaruga “De Canaleta” e nas águas do oceano, pode-se avistar baleias do Sul, durante a estação de migração para reprodução. Enquanto isso, diferentes espécies de peixes vivem na lagoa: corvina, siri, linguado, “lisa”, “lacha” (espécie de peixe marinho), camarão, ostras e dentre outros.

MONTE PSAMÓFILO

É a joia da região, similar a savana africana por sua aridez: a pouca altura e concentração de cactos e arbustos espinhosos compõe e conservam a paisagem. Para chegar lá, é necessário viajar três quilômetros de carro pela Rota 10.

Produção editorial: Revista M&T – Desenvolvido e atualizado por Diagrama Marketing Editoral