FECHAR
16 de abril de 2020
Voltar

TENDÊNCIAS

Construções em madeira ganham espaço no Brasil e no mundo

Engenheiro graduado em Engenharia Industrial Madeireira explica porque a tendência demorou tanto para chegar ao país e conta as vantagens deste modelo de construção
Fonte: Assessoria de Imprensa

No Japão, desde 2010, uma lei determina que todo novo prédio público com até três andares seja construído em madeira.

Nos Estados Unidos, a madeira também está presente em quase todas as casas. Mesmo as que possuem paredes de tijolos ou pedras têm elementos estruturais em madeira. E, aos poucos, essa tendência está chegando também ao Brasil.

O engenheiro, graduado em Engenharia Industrial Madeireira pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (Unesp), Murilo Negreli, explica que os modelos de construção em madeira demoraram a chegar no Brasil por questões culturais.

“Apesar do Brasil possuir uma grande oferta, ainda estamos criando uma cultura de construir em madeira, crescemos ouvindo a história dos Três Porquinhos, diferentemente dos países da América do Norte e Europa”, comenta o engenheiro.

Conforme Negreli, estima-se que neste ano sejam construídos nos Estados Unidos 714 projetos em Madeira Massiva, dentre eles edifícios multifamiliares, comerciais ou institucionais.

As madeiras massivas são grandes peças de madeira pré-fabricadas para todos os aspectos da construção: vigas, pilares, paredes, teto e piso. Além disso, elas são resistência ao fogo, são sustentáveis, fortes e dur...


No Japão, desde 2010, uma lei determina que todo novo prédio público com até três andares seja construído em madeira.

Nos Estados Unidos, a madeira também está presente em quase todas as casas. Mesmo as que possuem paredes de tijolos ou pedras têm elementos estruturais em madeira. E, aos poucos, essa tendência está chegando também ao Brasil.

O engenheiro, graduado em Engenharia Industrial Madeireira pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (Unesp), Murilo Negreli, explica que os modelos de construção em madeira demoraram a chegar no Brasil por questões culturais.

“Apesar do Brasil possuir uma grande oferta, ainda estamos criando uma cultura de construir em madeira, crescemos ouvindo a história dos Três Porquinhos, diferentemente dos países da América do Norte e Europa”, comenta o engenheiro.

Conforme Negreli, estima-se que neste ano sejam construídos nos Estados Unidos 714 projetos em Madeira Massiva, dentre eles edifícios multifamiliares, comerciais ou institucionais.

As madeiras massivas são grandes peças de madeira pré-fabricadas para todos os aspectos da construção: vigas, pilares, paredes, teto e piso. Além disso, elas são resistência ao fogo, são sustentáveis, fortes e duráveis.

No Brasil, o engenheiro lembra que está em processo de finalização do primeiro prédio em Mass Timber do Brasil, construção pré-fabricada de grande porte em madeira. “Ele servirá para abrir portas e disseminar a cultura da construção dos prédios de madeira no Brasil”, comemora Negreli.

Para o especialista, o crescimento das construções em madeira tem um apelo social importante.

“Estamos confrontados com duas grandes questões do nosso tempo: mudanças climáticas provocadas pelo homem e uma população mundial crescente. Para construir habitações adequadas para as gerações futuras, utilizando-se da industrialização, devemos reinventar a construção para que possamos atender a essa necessidade com o mínimo efeito sobre o meio ambiente”, destaca.

Vantagens
O engenheiro madeireiro comenta que são muitas as vantagens das construções em madeira, como mais agilidade, em um sistema industrializado, que exige apenas o transporte e montagem no local da obra.

Sérgio Jankowski, vice-presidente da Grossl, empresa do segmento de adesivos e abrasivos para indústria madeireira e moveleira, concorda e complementa que a madeira apresenta redução em cerca de 60% do tempo para a execução da obra.

“A madeira também desempenha um papel sustentável, já que é renovável e reaproveitável”, comenta.

Negreli acrescenta, ainda, que uma obra em madeira produzida com manejo adequado sequestra dióxido de carbono da atmosfera. Em média, para obtenção de 1m³ de madeira, é extraído uma tonelada de C02.

O engenheiro apresenta outros dados importantes relativos à sustentabilidade. “A madeira é sustentável, ou seja, possui um ciclo de utilização, colhe-se árvores e outras são plantadas no local. Além disso, a energia para obtenção da madeira é o sol e dióxido de carbono. Materiais convencionais, como aço e concreto são finitos, e, diferentemente da madeira, necessitam de muita energia para sua geração, muito disso resulta da energia de combustível fóssil necessária para forjar aço e produzir concreto”, destaca.

A geração de resíduos também é bem menor, segundo Negreli. “Durante o processo de construção é produzido 85% menos resíduos e, além disso, as edificações em madeira em média pesam 40% menos que as construções convencionais, reduzindo diretamente o impacto com fundações e transporte”, diz.

Para os ambientes, a madeira também proporciona bom isolamento térmico e acústico e comportamento favorável a abalos sísmicos, que não são comuns no Brasil, mas já foram registrados.