FECHAR
FECHAR
22 de outubro de 2020
Voltar

Entidade defende retomada de obras paralisadas

Proposta da FNE abrange áreas de habitação, saneamento e logística; Documento foi lançado ontem (dia 21), em evento online
Fonte: FNE

A Federação Nacional dos Engenheiros (FNE), entidade que representa cerca de 500 mil profissionais em todo o país, lançou ontem (dia 21 de outubro) mais uma edição do seu projeto “Cresce Brasil + Engenharia + Desenvolvimento”, evento online transmitido pelos canais da entidade no Facebook e no Youtube.

Intitulada “Recuperação pós-pandemia”, a nova publicação defende a retomada das obras públicas paralisadas como forma de gerar empregos não só à categoria, mas também aos demais trabalhadores do setor, além de fomentar a cadeia produtiva da construção. “Garantiria ainda a entrega da infraestrutura urbana e de produção que falta aos cidadãos e aos empreendimentos”, diz comunicado.

O trabalho, que contou com a participação de consultores e especialistas, elegeu habitação, saneamento e logística como os pontos centrais para um programa de retomada consistente.

“A tarefa de verificar o que é importante e que tenha continuidade, reunir as condições para tanto e realizar o necessário certamente é enorme e complexa, mas também inadiável”, disse o presidente da FNE, Murilo Pinheiro. “Isso envolve planejamento, destinação de recursos adequados, acompanha...


A Federação Nacional dos Engenheiros (FNE), entidade que representa cerca de 500 mil profissionais em todo o país, lançou ontem (dia 21 de outubro) mais uma edição do seu projeto “Cresce Brasil + Engenharia + Desenvolvimento”, evento online transmitido pelos canais da entidade no Facebook e no Youtube.

Intitulada “Recuperação pós-pandemia”, a nova publicação defende a retomada das obras públicas paralisadas como forma de gerar empregos não só à categoria, mas também aos demais trabalhadores do setor, além de fomentar a cadeia produtiva da construção. “Garantiria ainda a entrega da infraestrutura urbana e de produção que falta aos cidadãos e aos empreendimentos”, diz comunicado.

O trabalho, que contou com a participação de consultores e especialistas, elegeu habitação, saneamento e logística como os pontos centrais para um programa de retomada consistente.

“A tarefa de verificar o que é importante e que tenha continuidade, reunir as condições para tanto e realizar o necessário certamente é enorme e complexa, mas também inadiável”, disse o presidente da FNE, Murilo Pinheiro. “Isso envolve planejamento, destinação de recursos adequados, acompanhamento e fiscalização”, apontou.

Ele ressalta que, para que isso seja possível, “é preciso que governo e Parlamento abandonem a visão fiscalista que engessa qualquer tentativa de avanço nacional e pensem de forma estratégica”. “Crescimento e aumento do poder aquisitivo representam também maior arrecadação pública e podem gerar um círculo virtuoso”, finalizou.

A íntegra da publicação digital ficará disponível para download no site do projeto.