FECHAR
25 de julho de 2019
Voltar

TENDÊNCIAS

Eventos debatem o futuro das indústrias de tecnologia e energia

A FIEE Smart Future e FIEE Smart Energy conta com a participação das principais marcas e representantes dos setores de Elétrica, Eletrônica, Automação, Conectividade e Energia do país.
Fonte: Assessoria de Imprensa

O papel fundamental dos setores de tecnologia e energia para o avanço do processo de transformação digital do Brasil é o principal tema da FIEE Smart Future e FIEE Smart Energy.

Os eventos acontecem até sexta-feira (26/07), em São Paulo, e conta com a participação das principais marcas e representantes dos setores de Elétrica, Eletrônica, Automação, Conectividade e Energia do país.

As principais autoridades estão presentes no evento, incluindo representantes dos Ministérios do Meio Ambiente, de Minas e Energia (MME) e da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicações (MCTI), além da Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica (Abinee), Bracier e da Reed Exhibitions Alcântara Machado, organizadora da FIEE, e de marcas como ABB, ANATEL, Bosch, Cisco, Schneider Eletric, Siemens, SKA, TIM e Yaskawa Motoman.

“O futuro chegou e este novo cenário de digitalização coloca a indústria eletroeletrônica no protagonismo da economia como um todo e reforça seu papel estratégico para o desenvolvimento do Brasil”, afirma Humberto Barbato, presidente executivo da Abinee.

“A revolução digital está se espalhando por diversos segmentos da economia. Pensar em um mundo co...


O papel fundamental dos setores de tecnologia e energia para o avanço do processo de transformação digital do Brasil é o principal tema da FIEE Smart Future e FIEE Smart Energy.

Os eventos acontecem até sexta-feira (26/07), em São Paulo, e conta com a participação das principais marcas e representantes dos setores de Elétrica, Eletrônica, Automação, Conectividade e Energia do país.

As principais autoridades estão presentes no evento, incluindo representantes dos Ministérios do Meio Ambiente, de Minas e Energia (MME) e da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicações (MCTI), além da Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica (Abinee), Bracier e da Reed Exhibitions Alcântara Machado, organizadora da FIEE, e de marcas como ABB, ANATEL, Bosch, Cisco, Schneider Eletric, Siemens, SKA, TIM e Yaskawa Motoman.

“O futuro chegou e este novo cenário de digitalização coloca a indústria eletroeletrônica no protagonismo da economia como um todo e reforça seu papel estratégico para o desenvolvimento do Brasil”, afirma Humberto Barbato, presidente executivo da Abinee.

“A revolução digital está se espalhando por diversos segmentos da economia. Pensar em um mundo com milhões de objetos conectados entre si é cada vez mais palpável com as novas tecnologias de digitalização. Esse conceito representa uma nova realidade que também já está presente no setor energético”, diz Barbato.

O executivo ressalta as características do Brasil como um mercado potencialmente atrativo para investimentos e diz que qualquer empresa que pretenda ser líder global deve estar presente no mercado brasileiro, gerando empregos de qualidade, renda e inovação tecnológica.

Para Wilson Ferreira Junior, presidente do Bracier e da Eletrobras, o evento é essencial para aproximar o setor elétrico da indústria brasileira.

“Vivemos desafios que irão promover uma verdadeira revolução tecnológica e a inovação ocupa papel estratégico no avanço do setor”, diz. “Não devemos temer essa mudanças. Nosso país deve se orgulhar por ter uma das matrizes energéticas mais limpas e renováveis do mundo”, afirma.

Ricardo Figueiredo Terra, diretor regional do Senai SP destaca que o Brasil vive um grande momento de conectividade, essencial para que as indústrias continuem competitivas.

“Vivemos a quarta revolução industrial e estamos bem articulados para ajudar empresas de todos os tamanhos nesses avanços, fundamentais para o sucesso do Brasil. A melhor forma de prever o futuro é criá-lo”, diz.

Para Paulo Alvim, secretário de empreendedorismo e inovação do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, a FIEE Smart Future e a FIEE Smart Energy mostram a força da tecnologia e da energia para o Brasil.

“Esse setor é fundamental e responsável por gerar postos de trabalho, renda e impostos, estando no centro da transformação digital”, afirma.

Reive Barros dos Santos, secretário de Planejamento e Desenvolvimento Energético do Ministério de Minas e Energia, destaca que o evento é fundamental por debater a questão da transição energética e também da inovação tecnológica.

“Todos os projetos que estamos desenvolvendo incorporam novas tecnologias estratégicas para os consumidores”, diz.

O secretário anunciou durante o evento que o Ministério irá lançar em dezembro deste ano um plano que incentivará a expansão do setor elétrico para os próximos 10 anos, motivando o crescimento para as próximas décadas.