FECHAR
13 de fevereiro de 2020
Voltar

INTERNACIONAL

FMI diz que demanda por petróleo pode ter pico em 20 anos

Segundo a instituição, os países da região podem ver sua riqueza financeira diminuir significativamente nos próximos 15 anos, em meio a menores receitas por hidrocarbonetos, se não intensificarem reformas fiscais
Fonte: Valor Econômico

O Fundo Monetário Internacional (FMI) afirmou na semana passada que a demanda de petróleo global pode atingir seu pico dentro de 20 anos ou menos, caso ocorram impulsos regulatórios por proteção ambiental, o que representa um desafio significativo para os países exportadores de petróleo do Conselho de Cooperação do Golfo (CCG).

Segundo a instituição, os países da região podem ver sua riqueza financeira diminuir significativamente nos próximos 15 anos, em meio a menores receitas por hidrocarbonetos, se não intensificarem reformas fiscais.

"Após ganhar a vida vendendo combustíveis fósseis, eles agora precisam se preparar para um futuro pós-petróleo", afirmou a instituição.

"Todos os países do CCG reconhecem a natureza duradoura de seu desafio. No entanto, a velocidade e o tamanho esperados dessas consolidações na maioria dos países podem não ser suficientes para estabilizar sua riqueza", projeta o Fundo.

Perto das 15 horas, do dia 6 de fevereiro, o contrato do WTI (cotação WTI tem o nome derivado de West Texas Intermediate, que é a principal região petrolífera dos Estados Unido) para março era negociado a US$ 50,85, alta de 0,20%. O vencimento da cotação Brent (refer&eci...


O Fundo Monetário Internacional (FMI) afirmou na semana passada que a demanda de petróleo global pode atingir seu pico dentro de 20 anos ou menos, caso ocorram impulsos regulatórios por proteção ambiental, o que representa um desafio significativo para os países exportadores de petróleo do Conselho de Cooperação do Golfo (CCG).

Segundo a instituição, os países da região podem ver sua riqueza financeira diminuir significativamente nos próximos 15 anos, em meio a menores receitas por hidrocarbonetos, se não intensificarem reformas fiscais.

"Após ganhar a vida vendendo combustíveis fósseis, eles agora precisam se preparar para um futuro pós-petróleo", afirmou a instituição.

"Todos os países do CCG reconhecem a natureza duradoura de seu desafio. No entanto, a velocidade e o tamanho esperados dessas consolidações na maioria dos países podem não ser suficientes para estabilizar sua riqueza", projeta o Fundo.

Perto das 15 horas, do dia 6 de fevereiro, o contrato do WTI (cotação WTI tem o nome derivado de West Texas Intermediate, que é a principal região petrolífera dos Estados Unido) para março era negociado a US$ 50,85, alta de 0,20%. O vencimento da cotação Brent (referência para os mercados europeu e asiático). para abril estava a US$ 54,87, queda de 0,74%.

Pressionadas pelo temor sobre a queda da demanda chinesa, com o surto de coronavírus, as referências da commodity viram os preços recuarem 20% em relação ao pico recente, do dia 6 de janeiro.