24 de abril de 2019
Voltar

TENDÊNCIAS

Indústria ganhará mais conexões móveis até 2025

Setor industrial deve se beneficiar da chegada do 5G e uso de redes móveis crescerá
Fonte: Exame

As conexões móveis de internet também prometem ajudar indústrias a se tornarem mais eficientes e produtivas.

Por conta disso, a consultoria chinesa Counterpoint Research prevê que o mercado global de redes celulares para automação de equipamentos industriais móveis crescerá 45% ao ano entre 2018 e 2025.

Os principais competidores desse mercado são a suíça ABB, a alemã Siemens e a japonesa Panasonic.

Os principais equipamentos que devem se tornar cada vez mais conectados são controladores lógicos programáveis, servo motores, drives, interfaces homem-máquina e, claro, robôs – entre outros aparelhos.

A ABB era a empresa com maior participação de mercado em 2018. De 2007 a 2018, a companhia entregou à indústria mais de 40 mil robôs conectados e a expectativa é de que esse setor se torne ainda mais importante para a ABB.

O motivo é que ela vendeu 80% da sua participação no negócio de power grids – uma cadeia de produtos para consumo eficiente de energia e com o mínimo impacto ambiental –  para a japonesa Hitachi.

Portanto, as soluções digitais da empresa, do pacote ABB Ability, serão cada vez mais importantes na estratégia da empresa.

Para acelerar ainda mais suas iniciativas no mercado de indústria 4.0, ela se aliou com Ericsson para o uso da tecnologia 5G.

Fora isso, uma das principais apostas da ABB é o robô colaborativo YuMi, que promete funcionamento pleno e seguro no chão de fábrica.

O YuMi consiste em um ou mais braços robóticos e pode realizar movimentos repetitivos que podem ser ensinados por programação ou mesmo por simulação de movimentos físicos realizados por um operador.

Para demonstrar seu funcionamento, a ABB já o colocou para fazer atividades como reger uma orquestra sinfônica e até mesmo servir café para o presidente do Brasil, durante a conferência de Davos.

O padrão de conexão móvel 5G traz não só mais velocidade, mas baixa latência – o que é importante para permitir comandos de robôs à distância e deve trazer inovações para o setor industrial.

Países como Estados Unidos, China e Coreia do Sul devem ter serviços funcionais para consumidores ainda neste ano.

Vale ressaltar que o 5G deve ser usado em equipamentos móveis, uma vez que os fixos podem ser conectados à internet por cabos ou redes Wi-Fi, segundo a Counterpoint Research.