27 de junho de 2019
Voltar

SISTEMAS

Mercado de aditivos impermeabilizantes se organiza para crescer

Criação de manuais técnicos e eventos para disseminar informações contribuem para alavancar a utilização dos concretos técnicos no Brasil
Fonte: Assessoria de Imprensa

Aditivos impermeabilizantes são adicionados ao concreto e argamassa, que reagem com o cimento durante o processo de hidratação, para dar origem a substâncias minerais que bloqueiam a rede capilar, proporcionando elevada impermeabilidade a estes materiais.

Com a demanda crescente do uso do concreto, o IBI Brasil – Instituto Brasileiro de Impermeabilização criou uma Câmara Setorial de Aditivos. Para isso foram reunidas as empresas associadas que atuam neste setor, sob a coordenação do engenheiro Shingiro Tokudome, gerente executivo da MC-Bauchemie.

Esta Câmara se reúne mensalmente para a realização de estudos avançados nesta área.

Segundo o artigo 15º do Estatuto do IBI, seu objetivo é propor a discussão e a busca de soluções para problemas em comum e de oportunidades de novos negócios, de mercado ou de desenvolvimento tecnológico.

Esse papel é fundamental para o fortalecimento do setor e crescimento das empresas associadas.

De acordo com Tokudome, a Câmara Setorial de Aditivos do IBI Brasil surgiu da iniciativa de algumas empresas diante da falta de uma entidade que representasse os fabricantes de aditivos para concreto. Atualmente representa algo estimado em 70% do volume de aditivos produzidos no Brasil.

“Até o momento já foram criados dois manuais de utilização de aditivos para concreto com o objetivo de esclarecer o usuário sobre os cuidados a serem observados, as características técnicas dos aditivos de acordo com os insumos, a influência da temperatura do concreto e do ambiente externo, assim como o layout da localização e proteção dos tanques de armazenamento“, diz.

O especialista acredita que o espaço criado no IBI para a Câmara de Aditivos, pode somar forças com outras entidades do setor e alavancar a utilização dos concretos técnicos, gerando um maior consumo de aditivos para concreto no país.

“O mercado de aditivos está atrelado ao volume de concreto consumido no mercado, portanto, atualmente há uma boa demanda por parte do setor imobiliário, ainda que menor se comparada a 2015“, afirma.

Segundo Tokudome, o setor de obras de infraestrutura, responsável pelo consumo de um volume importante de aditivos para concreto, está com baixo consumo devido à paralização de muitos projetos do governo.