FECHAR
05 de setembro de 2019
Voltar

INFRAESTRUTURA

Mercado de pavimentação mantém boas perspectivas para 2020

Empresas que participaram Paving Expo & Conference South America, evento destinado a apresentar as últimas tendências nos setores de máquinas para obras rodoviárias, acreditam em uma retomada do setor
Fonte: Assessoria de Imprensa

A expectativa da indústria de máquinas para o segmento de infraestrutura viária é positiva para 2020.

O mercado aposta que haverá uma retomada de obras, em função de investimentos anunciados pelo governo e, também, porque há uma necessidade de melhoria da qualidade da malha rodoviária nacional, a fim de possibilitar o escoamento logístico mais eficiente das cargas.

“Temos visto um crescimento do mercado de pavimentação próximo a 10% até julho deste ano. Esse aumento é moderado em comparação a queda acumulada de sofrida pelo setor de aproximadamente 80% nos últimos anos. Porém, para o próximo ano, nossa expectativa é de uma nova alta, entre 10% e 15%, com destaque para o segundo semestre, quando deve ocorrer a fase de execução das obras anunciadas”, disse Jandrei Goldschmidt, Head of Marketing da Ciber, empresa do Grupo Wirtgen.

Goldschmidt que participou da Paving Expo & Conference South America, evento destinado a apresentar as últimas tendências nos setores de máquinas para obras rodoviárias, realizado na semana passada na capital paulista, afirma que a feira acontece em um momento em que a infraestrutura está em debate.

“Os projetos que estão sendo votados neste ano devem gerar os recursos para atender a...


A expectativa da indústria de máquinas para o segmento de infraestrutura viária é positiva para 2020.

O mercado aposta que haverá uma retomada de obras, em função de investimentos anunciados pelo governo e, também, porque há uma necessidade de melhoria da qualidade da malha rodoviária nacional, a fim de possibilitar o escoamento logístico mais eficiente das cargas.

“Temos visto um crescimento do mercado de pavimentação próximo a 10% até julho deste ano. Esse aumento é moderado em comparação a queda acumulada de sofrida pelo setor de aproximadamente 80% nos últimos anos. Porém, para o próximo ano, nossa expectativa é de uma nova alta, entre 10% e 15%, com destaque para o segundo semestre, quando deve ocorrer a fase de execução das obras anunciadas”, disse Jandrei Goldschmidt, Head of Marketing da Ciber, empresa do Grupo Wirtgen.

Goldschmidt que participou da Paving Expo & Conference South America, evento destinado a apresentar as últimas tendências nos setores de máquinas para obras rodoviárias, realizado na semana passada na capital paulista, afirma que a feira acontece em um momento em que a infraestrutura está em debate.

“Os projetos que estão sendo votados neste ano devem gerar os recursos para atender a demanda de infraestrutura viária, trazendo à tona a necessidade da indústria em expor as tecnologias e equipamentos que estão disponíveis, ressaltando que temos capacidade para suprir todas as demandas de obras no país”.

A Dynapac também esteve na feira deste ano e, de acordo com Carlos Santos, gerente de vendas Brasil da empresa, o país tem um enorme potencial para a pavimentação, uma vez que apenas cerca de 15% da malha rodoviária é pavimentada.

“Boa parte dos investimentos em infraestrutura que está ocorrendo neste ano está no Norte e no Nordeste, que são regiões que precisam de muita estrutura. São obras de linha de transmissão e em estradas. Até porque a malha rodoviária pública passou quase dez anos sem manutenção. As obras em rodovias devem estar na pauta do ano que vem porque é preciso conectar todo o Brasil”, explicou.

Para ele, a área da construção deve crescer mais do que a de pavimentação. “Com base nos dados da Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq), acredito que a alta da construção deve ficar perto dos 40% enquanto que a pavimentação entre 20% e 30%. Para 2020, o incremento será maior”, avaliou Santos.

A Dynapac destaca na feira o lançamento da série Rhino de rolos compactadores, a partir de 10 toneladas, com motor mais tecnológico, potente e com consumo de combustível menor.

José Carlos Romanelli, diretor da Romanelli, ressaltou que estão ocorrendo obras de manutenção, usando tecnologia e que o poder público está se preparando para lançar novas obras em 2020.

“Realmente, este ano está melhor que 2018. Estamos vendo uma sequência mais constante de negócios. Mas, a expectativa está no próximo ano”, disse.

A companhia apresentou a terceira geração de secadores de solo na Paving Expo, além de um novo espargidor. “Os visitantes estão interessados em tecnologia e em produtividade”.

Para a Caterpillar, que anunciou a inclusão de dois compactadores vibratórios tandem de tamanho médio à sua família de produtos de pavimentação, a Paving Expo representa uma oportunidade de mostrar aos clientes que a empresa está preparada para atender esse crescimento esperado para o próximo ano.

“Neste momento, no segmento de pavimentação, o Brasil está um pouco melhor do que o restante da América Latina”, avaliou Melania Monje, gerente de pavimentação para América Latina da marca.

A New Holland Construction realizou o pré-lançamento do rolo compactador na Paving Expo por acreditar no potencial do evento.

“Em nossa avaliação, entendemos que deve haver um aumento nas concessões e que o investimento em infraestrutura será um dos pilares do governo. Assim, aproveitamos para incluir no mercado da América Latina um produto que até então não havia em nosso portfólio, mas que já é vendido em outras regiões”, explicou Giovanni Borgonovo, gerente de marketing da marca.