FECHAR
FECHAR
15 de agosto de 2019
Voltar

INOVAÇÃO

Nanotecnologia pode abrir os caminhos da Amazônia

Seminário de Solos e Asfaltos durante a Paving Expo & Conference South America contará com apresentações que irão destacar tecnologias para estabilização de solos amazônicos, aplicabilidade do gás GLP em usinas asfálticas e processos para melhorias dos pavimentos
Fonte: Assessoria de Imprensa

Um dos grandes desafios da infraestrutura brasileira é integrar a região Amazônia ao modal viário brasileiro, devido ao tipo do solo arenoso ali encontrado e elevada pluviosidade, que transformam as vias amazônicas em banheiras de lama durante o período de chuvas.

O Seminário Solos e Asfaltos – que acontece dia 28 de agosto durante a Paving Expo & Conference South America – traz o especialista Edward Allen, diretor geral da Claycrete Stabilizers Inc, e Martin Mauro, diretor geral da Duraterra Tecnologia, para falar sobre o uso da nanotecnologia na estabilização de solos tropicais in situ.

Um dos pontos altos da será a apresentação do reagente IEA (Inibidor da Expansividade das Argilas Reativas), componente produzido a base da nanotecnologia capaz de reduzir em até 40% os custos de uma obra estradal, reservatórios ou minas.

“Isso é possível em função da não utilização de agregados granulares clássicos (derivados pétreos de várias dimensões), bem como transportes, geração de gases de efeito estufa, e operações de distribuição desses agregados na pista de rolagem. Serão apresentados cases de sucesso de solos tropicais e subtropicais, com índices pluviométricos próximos daqueles en...


Um dos grandes desafios da infraestrutura brasileira é integrar a região Amazônia ao modal viário brasileiro, devido ao tipo do solo arenoso ali encontrado e elevada pluviosidade, que transformam as vias amazônicas em banheiras de lama durante o período de chuvas.

O Seminário Solos e Asfaltos – que acontece dia 28 de agosto durante a Paving Expo & Conference South America – traz o especialista Edward Allen, diretor geral da Claycrete Stabilizers Inc, e Martin Mauro, diretor geral da Duraterra Tecnologia, para falar sobre o uso da nanotecnologia na estabilização de solos tropicais in situ.

Um dos pontos altos da será a apresentação do reagente IEA (Inibidor da Expansividade das Argilas Reativas), componente produzido a base da nanotecnologia capaz de reduzir em até 40% os custos de uma obra estradal, reservatórios ou minas.

“Isso é possível em função da não utilização de agregados granulares clássicos (derivados pétreos de várias dimensões), bem como transportes, geração de gases de efeito estufa, e operações de distribuição desses agregados na pista de rolagem. Serão apresentados cases de sucesso de solos tropicais e subtropicais, com índices pluviométricos próximos daqueles encontrados na região amazônica brasileira, existentes na Indonésia, Costa do Marfim, Marrocos e Austrália”, informa Mauro.

Segundo ele, a expertise e tecnologia da Claycrete Stabilizers Inc – com mais de 30 anos de atuação na Austrália (país de origem), Indonésia, China, Canada, países africanos e asiáticos – podem ser valiosas para as futuras obras em solos amazônicos, principalmente para reforço do subleito, subbase e base das estradas, além de ser totalmente sustentável.

“O acesso a práticas inovadoras é o melhor caminho para diminuir barreiras na adoção de novas tecnologias”, diz Mauro.

O Seminário de Solos e Asfaltos terá também a palestra de Vicente Longatti Neto, gerente nacional Comercial Empresarial da Copagaz Distribuidora de Gás, e de Marcelo Paschoaneli, diretor na empresa ATM Engenharia, sobre o tema O Gás GLP, suas aplicações e benefícios em Usinas de Asfalto e Sistemas de monitoramento remoto de funcionamento SM Connect, que destacará os aspectos positivos relacionados à automação de processos e ganhos de qualidade.

“A aplicação do gás GLP pode ser o fator-chave na redução dos custos operacionais de um equipamento com resultado direto no aumento da produção, na redução dos custos de manutenção e forte apelo ambiental. Todos os setores industriais já fizeram essa transição. Agora é a vez da Construção, pois as empresas buscam controles eficientes e sistemas de gestão que tragam resultados concretos no aumento da performance e da qualidade do produto final, e o uso do gás aliados a processos de automação certamente permite isso”, afirma Longatti Neto.

Já Emerson José Simoso, gerente de Soluções de Engenharia na Stratura Asfaltos, e Emerson Maciel, coordenador de Desenvolvimento Técnico da Stratura Asfaltos, abordarão o tema A influência dos ligantes no desempenho da mistura asfáltica: uma visão da relação custo/benefício no uso de ligantes modificados, apresentando o investimento da empresa em pesquisa na produção de ligantes e no processo de classificação PG (Performance Graded) estabelecida pela metodologia Superpave (Superior Performing Asphalt Pavement) com experiências nacionais e internacionais., com ênfase na durabilidade do pavimento.

Por fim, o engenheiro Eudier Antonio da Silva, fundador da Consulpav e membro efetivo da Associação Brasileira de Pavimentação, profere a apresentação O uso de solos plásticos estabilizados quimicamente com Dynabase, para uso em camada de base em uma estrutura do pavimento, a convite da Dynabase Estabilizante de Solo.

O especialista apresentará as várias alternativas de compostos químicos na área de estabilização e impermeabilização de solos, tendo em vista que suas características físico-químicas permitem seu uso nos mais variados solos existentes, produzindo excelentes resultados como estabilizante de bases.

“O processo é indicado para aplicação em obras de pavimentação urbana, assim como em vias intermediárias ou vicinais, além de pátios de manobra de veículos pesados, área de compostagem, lagoas de tratamento de efluentes químicos, entre outros”, explica.

A Paving Conference contará ainda com mais seminários, workshops, debates e atividades especiais, a serem promovidos em quatro auditórios, em dois períodos – manhã e tarde.

A Paving Expo será promovida entre os dias 27 e 29 de agosto, no Expo Center Norte, em São Paulo.