FECHAR
15 de agosto de 2019
Voltar

INOVAÇÃO

Nanotecnologia pode abrir os caminhos da Amazônia

Seminário de Solos e Asfaltos durante a Paving Expo & Conference South America contará com apresentações que irão destacar tecnologias para estabilização de solos amazônicos, aplicabilidade do gás GLP em usinas asfálticas e processos para melhorias dos pavimentos
Fonte: Assessoria de Imprensa

Um dos grandes desafios da infraestrutura brasileira é integrar a região Amazônia ao modal viário brasileiro, devido ao tipo do solo arenoso ali encontrado e elevada pluviosidade, que transformam as vias amazônicas em banheiras de lama durante o período de chuvas.

O Seminário Solos e Asfaltos – que acontece dia 28 de agosto durante a Paving Expo & Conference South America – traz o especialista Edward Allen, diretor geral da Claycrete Stabilizers Inc, e Martin Mauro, diretor geral da Duraterra Tecnologia, para falar sobre o uso da nanotecnologia na estabilização de solos tropicais in situ.

Um dos pontos altos da será a apresentação do reagente IEA (Inibidor da Expansividade das Argilas Reativas), componente produzido a base da nanotecnologia capaz de reduzir em até 40% os custos de uma obra estradal, reservatórios ou minas.

“Isso é possível em função da não utilização de agregados granulares clássicos (derivados pétreos de várias dimensões), bem como transportes, geração de gases de efeito estufa, e operações de distribuição desses agregados na pista de rolagem. Serão apresentados cases de sucesso de solos tropicais e subtropicais, com índices pluviométricos próximos daqueles encontrados na região amazônica brasileira, existentes na Indonésia, Costa do Marfim, Marrocos e Austrália”, informa Mauro.

Segundo ele, a expertise e tecnologia da Claycrete Stabilizers Inc – com mais de 30 anos de atuação na Austrália (país de origem), Indonésia, China, Canada, países africanos e asiáticos – podem ser valiosas para as futuras obras em solos amazônicos, principalmente para reforço do subleito, subbase e base das estradas, além de ser totalmente sustentável.

“O acesso a práticas inovadoras é o melhor caminho para diminuir barreiras na adoção de novas tecnologias”, diz Mauro.

O Seminário de Solos e Asfaltos terá também a palestra de Vicente Longatti Neto, gerente nacional Comercial Empresarial da Copagaz Distribuidora de Gás, e de Marcelo Paschoaneli, diretor na empresa ATM Engenharia, sobre o tema O Gás GLP, suas aplicações e benefícios em Usinas de Asfalto e Sistemas de monitoramento remoto de funcionamento SM Connect, que destacará os aspectos positivos relacionados à automação de processos e ganhos de qualidade.