FECHAR
FECHAR
21 de novembro de 2019
Voltar

INVESTIMENTOS

Saneamento desperta interesse de investidores estrangeiros

Segundo ministro da infraestrutura, investidores têm demonstrado grande apetite pelo setor e aguardam apenas definição de regras claras para injetar recursos na área
Fonte: Valor Econômico

O ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, afirma que os investidores estrangeiros têm demonstrado grande apetite pelo setor de saneamento básico no Brasil.

Segundo ele, o mercado aguarda apenas a definição de regras claras para injetar recursos nesse segmento.

“Existe um mundo de oportunidades. Eu diria que o saneamento é o novo pré-sal, com uma necessidade enorme de universalizar os serviços. A gente precisa brigar por um marco legal que dê clareza”, disse o ministro.

Segundo Freitas, os investidores têm demonstrado interesse especial pelos serviços de fornecimento de água e tratamento de esgoto ao discutir oportunidades no segmento de transportes.

“A quantidade de investimentos que podem vir para o setor de saneamento é sem precedente. A gente fala com operadores de infraestrutura no mundo com várias posições, que operam rodovias, operaram ferrovias, mas hoje eles chegam para você e dizem: ‘eu quero saber [do serviço] de água’”, afirmou Freitas.

O setor projeta a necessidade de investir ao menos R$ 600 bilhões para universalizar os serviços de água e esgoto no Brasil.

Segundo reportagem do Valor Econômico, dos 5.570 municípios brasileiros, apenas 343 (6%) atingiram o índice de cobertura acima de...


O ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, afirma que os investidores estrangeiros têm demonstrado grande apetite pelo setor de saneamento básico no Brasil.

Segundo ele, o mercado aguarda apenas a definição de regras claras para injetar recursos nesse segmento.

“Existe um mundo de oportunidades. Eu diria que o saneamento é o novo pré-sal, com uma necessidade enorme de universalizar os serviços. A gente precisa brigar por um marco legal que dê clareza”, disse o ministro.

Segundo Freitas, os investidores têm demonstrado interesse especial pelos serviços de fornecimento de água e tratamento de esgoto ao discutir oportunidades no segmento de transportes.

“A quantidade de investimentos que podem vir para o setor de saneamento é sem precedente. A gente fala com operadores de infraestrutura no mundo com várias posições, que operam rodovias, operaram ferrovias, mas hoje eles chegam para você e dizem: ‘eu quero saber [do serviço] de água’”, afirmou Freitas.

O setor projeta a necessidade de investir ao menos R$ 600 bilhões para universalizar os serviços de água e esgoto no Brasil.

Segundo reportagem do Valor Econômico, dos 5.570 municípios brasileiros, apenas 343 (6%) atingiram o índice de cobertura acima de 90% para o abastecimento de água e de 60% para a coleta e o tratamento de esgoto. Estes parâmetros foram definidos no novo marco legal discutido no Congresso Nacional.

“O saneamento vai explodir a partir do momento que a gente acertar a questão do marco legal, definir a questão das competências, ter uma pouco mais de clareza sobre as regras do jogo. Então, os processos de PPP e concessão de saneamento vão aparecer aos montes”, destacou o ministro.