FECHAR
23 de maio de 2019
Voltar

ARTIGOS

Simulação Realista: inteligência e tecnologia para harmonizar indústrias e o meio ambiente

Para alcançar essa inteligência, as empresas estão usando a simulação realista, processo que unifica a análise de dados e ajuda a antever o comportamento dinâmico e a capacidade real de um determinado componente ou subconjunto para resistir aos esforços a que serão submetidos na condição de trabalho
Fonte: Assessoria de Imprensa

Ao longo de nossa história, a evolução da indústria sempre esteve ligada à busca por soluções mais eficientes e seguras.

Esse compromisso tem levado empresas dos mais diversos segmentos a procurarem novas soluções que as ajudem a tornar seus processos mais produtivos. Um caminho trilhado por essas organizações é a adoção de tecnologias preditivas que antecipam as características de comportamento, resistência e eficiência de cada um dos componentes presentes na construção de seus projetos, possibilitando o desenvolvimento de produtos otimizados que atendam aos requisitos propostos.

Para alcançar essa inteligência, as empresas estão usando a simulação realista, processo que unifica a análise de dados e ajuda a antever o comportamento dinâmico e a capacidade real de um determinado componente ou subconjunto para resistir aos esforços a que serão submetidos na condição de trabalho.

Nesse processo, as organizações utilizam plataformas 3D para criar versões digitais de seus projetos, que permitem avaliar detalhes estruturais (principalmente não-lineares), características de desgaste e durabilidade e muitas outras variáveis a partir dos níveis de tensão/deformação calculados virtualmente.

Com a simulação realista as empresas podem projetar, monitorar e diagnosticar os impactos e efeitos da atuação do meio ambiente ao longo do tempo nos componentes de uma estrutura, obtendo informações para que os engenheiros otimizem seus planejamentos e avaliações com dados robustos e confiáveis.

Plataformas modernas de experiência tridimensional, como 3DExperience, geram análises abrangentes, com projeções específicas sobre os mais diversos pontos e materiais envolvidos no processo. Com essas ferramentas, pode-se determinar, entre outras questões, quais são os materiais mais adequados e quais são os fatores a serem considerados para evitar ameaças ao andamento dos projetos.

É dessa forma, por exemplo, que a indústria automobilística consegue predizer qual é a vida útil de todas as peças do seu carro. Com a ajuda de um sistema inteligente, os engenheiros conseguem cruzar informações sobre as condições de desgaste dos materiais.