FECHAR
24 de maio de 2018
Voltar

Mercado

Construção registra saldo positivo de vagas

Campinas segue liderando o número de oportunidades geradas na região
Fonte: DCI

O saldo de empregos na construção civil da Região Metropolitana de Campinas (RMC) fechou com números positivos pela primeira vez no ano, apontam dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho.

A pesquisa do Caged para o setor, que é responsável por 8% do Produto Interno Produto (PIB) nacional, encerrou o mês de abril com saldo de 305 trabalhadores contratados com carteira assinada. No acumulado dos quatro primeiros meses de 2018, o saldo está no vermelho.

De acordo com os números do Caged, em abril a construção civil da RMC admitiu 1.939 trabalhadores e demitiu 1.634, o que resultou no saldo positivo de 305 vagas criadas com carteira assinada. No acumulado dos quatro meses, o saldo esta negativo em 245 postos.

Municípios da região

A cidade de Campinas, como nos três meses anteriores, continua liderando o número de vagas geradas na RMC. Em abril, o setor contratou 876 pessoas e demitiu 684, com saldo positivo de 192. No acumulado de janeiro a abril já foram recuperados 376 postos de trabalho. O município de Paulínia também registrou bom desempenho no mês passado com 176 admissões contra 77 demissões, saldo de 99 vagas.

Já, a vizinha Indaiatuba, que em 2017 fechou todos os meses no vermelho, vem apresentando reação: terminou abril com 30 vagas com carteiras assinadas, sendo 173 admissões contra 143 demissões. Dos municípios com registros do Caged - exceto Morungaba, que não dispõe de dados numéricos cadastrados no banco do Ministério, nove fecharam abril com número de contratações maiores que as demissões, e outros nove ficaram com saldo negativo, com destaque para a cidade de Itatiba, onde as demissões superaram as admissões, com 56 postos de trabalho fechados.

Para o presidente da Associação Regional da Construção de Campinas e Região (Habicamp), Francisco de Oliveira Lima Filho, os números do Caged em abril reforçam que o setor vem reagindo de forma gradual e sustentada. “É bastante positivo fechar o primeiro mês do ano com número maior de vagas abertas. O número de contratações com carteiras assinadas só vem aumentando desde janeiro. Em fevereiro foram 1.387, passando para 1.750 em março, chegando a 1.939 em abril. Com esta evolução, passaremos de duas mil contratações em maio”, analisa Lima Filho.

Mais obras

A tendência, de acordo com ele, é que o número de contratações só aumente até o final do ano, mesmo com as incertezas política e econômica decorrentes das eleições. “É fato: a quantidade de lançamentos imobiliários está crescendo, com anúncio de empreendimentos em várias cidades. No segundo semestre, com o início das obras, as construtoras vão precisar contratar, gerando mais emprego”, completa o presidente da Habicamp.

Produção editorial: Revista Grandes Construções – Desenvolvido e atualizado por Diagrama Marketing Editoral