FECHAR
07 de junho de 2018
Voltar

Energia

Enel investirá US$ 900 milhões entre 2019 e 2021 para melhorar serviço da Eletropaulo

Eletropaulo foi comprada em leilão por R$ 5,5 bilhões pela empresa italiana
Fonte: Globo

O diretor-geral da Enel no Brasil, Carlo Zorzoli, disse que a empresa Italiana vai investir US$ 900 milhões entre 2019 e 2021 para melhorar a qualidade do serviço e digitalizar sistemas da Eletropaulo, comprada em leilão na véspera por R$ 5,5 bilhões.

"Achamos que a Eletropaulo nos últimos anos não realizou todos os investimentos que precisava para manter a qualidade de serviço", disse em coletiva com jornalistas.

Na média, significa que o investimento será de US$ 300 milhões por ano. Entre 2015 e 2017, a média aportada pela Eletropaulo foi de US$ 224 milhões, segundo a Enel.

Zorzoli disse que, por enquanto, não está nos planos mudar o nome da Eletropaulo, o foco está na integração entre as companhias. Mas disse que há uma possibilidade de que ela passe a se chamar Enel, assim como todas as outras concessões da empresa.

Questionado sobre se pretende fechar o capital da distribuidora na bolsa de valores, ele deu a mesma resposta.

"Sobre fechamento de capital também é cedo para dar essa resposta. Não temos nenhum plano hoje, veremos onde chegamos em 4 de julho". A data é o limite para que os investidores da Eletropaulo que mantiveram suas ações na companhia possam vendê-las à Enel pelo preço de R$ 45,22, fixado no leilão ocorrido na véspera.

"Estamos confortáveis de que ofertamos o preço justo", emendou o executivo.

'Sem dinheiro não se faz serviço'

Perguntado se os investimentos anunciados vão implicar em aumento de tarifa para os consumidores, Zorzoli destacou que apenas 20% do que os consumidores pagam na conta de luz vai para distribuição e que os eventos climáticos, por exemplo, impactam mais a tarifa (pela necessidade de ligar as termelétricas, que produzem energia mais cara, durante os períodos de estiagem).

Especificamente sobre os 20% que cabem à atividade, ele afirmou: “Bom, sem dinheiro não se pode fazer o serviço”.

Ele destacou, porém, que para que os investimentos afetem a tarifa, antes eles precisam ser reconhecidos pela Aneel e que a revisão tarifária é feita a cada quatro ou cinco anos. "A próxima revisão [para a Eletropaulo] está prevista para julho, então, a maioria dos investimentos que afetariam a tarifa [nessa revisão] já foram feitos", disse.

A tarifa da Eletropaulo é uma das mais baixas do país. Os investimentos em ativos usados para distribuir energia (subestações, cabos e postes) e o número de consumidores atendidos são critérios levados em conta pela Aneel para definir a remuneração das distribuidoras.

Produção editorial: Revista Grandes Construções – Desenvolvido e atualizado por Diagrama Marketing Editoral