FECHAR
20 de março de 2019
Voltar

CONCESSÕES / Consórcio ViaMobilidade vence leilão de concessão da linha 15-Prata de monotrilho

O Consórcio ViaMobilidade – Linha 15, formado pela CCR e pela RuasInvest Participações, venceu a licitação de concessão da linha 15-Prata de monotrilho no leilão realizado no dia 11 de março.

O grupo ofertou o lance de R$ 160 milhões, o que representa ágio de 0,59% sobre o valor de outorga mínimo atualizado de R$ 159 milhões, conforme definido no edital.

A operação e manutenção da Linha 15, atualmente administrada pelo Metrô de São Paulo, serão concedidas ao grupo pelo período de 20 anos.

O valor do contrato é estimado em R$ 4,7 bilhões, o que corresponde à soma das receitas tarifárias de remuneração e de receitas não operacionais, como exploração comercial de espaços livres nas estações. Ao longo de todo o prazo da concessão, o concessionário deve investir R$ 345 milhões no ramal.

“O Governo em São Paulo aposta na livre iniciativa e que acredita que programas de concessões, parcerias público-privadas e privatizações melhoram a condição e a qualidade do serviço público”, declara o governador João Doria.

“O monotrilho é um transporte de massa de qualidade e a concessão da operação da linha 15-Prata é importante principalmente para os moradores da zona leste. Até dezembro vamos entregar mais quatro estações para ampliar o acesso ao transporte sobre trilhos”, destaca Alexandre Baldy, secretário de Transportes M...


O Consórcio ViaMobilidade – Linha 15, formado pela CCR e pela RuasInvest Participações, venceu a licitação de concessão da linha 15-Prata de monotrilho no leilão realizado no dia 11 de março.

O grupo ofertou o lance de R$ 160 milhões, o que representa ágio de 0,59% sobre o valor de outorga mínimo atualizado de R$ 159 milhões, conforme definido no edital.

A operação e manutenção da Linha 15, atualmente administrada pelo Metrô de São Paulo, serão concedidas ao grupo pelo período de 20 anos.

O valor do contrato é estimado em R$ 4,7 bilhões, o que corresponde à soma das receitas tarifárias de remuneração e de receitas não operacionais, como exploração comercial de espaços livres nas estações. Ao longo de todo o prazo da concessão, o concessionário deve investir R$ 345 milhões no ramal.

“O Governo em São Paulo aposta na livre iniciativa e que acredita que programas de concessões, parcerias público-privadas e privatizações melhoram a condição e a qualidade do serviço público”, declara o governador João Doria.

“O monotrilho é um transporte de massa de qualidade e a concessão da operação da linha 15-Prata é importante principalmente para os moradores da zona leste. Até dezembro vamos entregar mais quatro estações para ampliar o acesso ao transporte sobre trilhos”, destaca Alexandre Baldy, secretário de Transportes Metropolitanos.

O trecho a ser concedido terá 11 estações de Vila Prudente a Jardim Colonial: Vila Prudente, Oratório, São Lucas, Camilo Haddad, Vila Tolstói, Vila União, Jardim Planalto, Sapopemba, Fazenda da Juta, São Mateus e Jardim Colonial.

A concessão está dividida em duas fases, sendo a primeira de Vila Planalto a São Mateus e a segunda até Jardim Colonial, cuja previsão de operação está programada para o segundo semestre de 2021.

No total serão mais de 15 km de vias elevadas e áreas reurbanizadas com implantação de ciclovia e vegetação sob a estrutura elevada do monotrilho, inclusive sob as estações, localizada nos canteiros centrais.

“Ao vencermos a licitação das linhas 5 e 17, pesquisamos e estudamos profundamente o sistema de monotrilho e contratamos os melhores especialistas para que estivéssemos preparados para novas conquistas neste modal. É um projeto desafiador, mas estamos preparados”, pontua Ítalo Roppa, presidente da CCR Mobilidade.

Linha 15-Prata

Com tecnologia de monotrilho, a linha 15 iniciou sua operação em agosto de 2014 entre as estações Vila Prudente e Oratório, com 2,9 km de extensão, contando com o pátio de manutenção e estacionamento de trens.

Em abril do ano passado, foram entregues as estações São Lucas, Camilo Haddad, Vila Tolstói e Vila União em mais 5,5 quilômetros de trilhos. Está prevista até o final deste ano a entrega das demais estações, cujas obras complementares estão em fase final de contratação.

Ao todo, o Governo do Estado investe R$ 5,2 bilhões na construção do ramal. O ativo investido na implantação da linha e na aquisição de trens não está incluso na concessão.

A demanda estimada para a linha completa é de 405.460 mil passageiros por dia, fazendo interligação com a rede metroferroviária pela linha 2-Verde do Metrô, na estação Vila Prudente, e com três terminais integrados de ônibus, Vila Prudente, Sapopemba (da SPTrans) e o terminal São Mateus do Corredor Metropolitano ABD (São Mateus/Jabaquara), gerenciado pela EMTU/SP.