FECHAR
11 de julho de 2019
Voltar

ENERGIA

EDP anuncia eólica de 126 MW no Rio Grande do Norte

Com início da operação já em 2020, braço de energia renovável do grupo português firma contrato de 20 anos
Fonte: DCI

A EDP Renováveis controlada pela elétrica portuguesa Energias de Portugal (EDP) anunciou no início da semana que construirá uma usina eólica no Rio Grande do Norte com uma capacidade instalada de 126 megawatts após ter assegurado a venda da produção do parque em um contrato privado com 20 anos de duração.

Em comunicado a EDP Renováveis informou que o empreendimento deve estar em funcionamento em 2022.

O anúncio da operação vem em meio a um forte crescimento do número de projetos de energia renovável no Brasil viabilizados com a venda da produção futura em contratos privados, chamado mercado livre de eletricidade – em que grandes clientes como indústrias negociam o suprimento direto com geradores e comercializadoras.

Segundo a EDP Renováveis, o contrato de 20 anos viabilizará os projetos Monte Verde VI e Boqueirão I e II.

"Hoje, a EDP R tem 467 MW em parques eólicos de tecnologia 'onshore' (em terra) instalados no Brasil, e com esse novo contrato a EDP R reforça presença em um mercado com um baixo perfil de risco, por meio do estabelecimento de contratos de longo prazo, ativos renováveis atraentes e sólidas perspectivas de médio e longo prazo", detalhava o comunicado.

A EDP Renováveis acrescento...


A EDP Renováveis controlada pela elétrica portuguesa Energias de Portugal (EDP) anunciou no início da semana que construirá uma usina eólica no Rio Grande do Norte com uma capacidade instalada de 126 megawatts após ter assegurado a venda da produção do parque em um contrato privado com 20 anos de duração.

Em comunicado a EDP Renováveis informou que o empreendimento deve estar em funcionamento em 2022.

O anúncio da operação vem em meio a um forte crescimento do número de projetos de energia renovável no Brasil viabilizados com a venda da produção futura em contratos privados, chamado mercado livre de eletricidade – em que grandes clientes como indústrias negociam o suprimento direto com geradores e comercializadoras.

Segundo a EDP Renováveis, o contrato de 20 anos viabilizará os projetos Monte Verde VI e Boqueirão I e II.

"Hoje, a EDP R tem 467 MW em parques eólicos de tecnologia 'onshore' (em terra) instalados no Brasil, e com esse novo contrato a EDP R reforça presença em um mercado com um baixo perfil de risco, por meio do estabelecimento de contratos de longo prazo, ativos renováveis atraentes e sólidas perspectivas de médio e longo prazo", detalhava o comunicado.

A EDP Renováveis acrescentou que, com essa nova transação, alcançou agora 3,3 gigawatts (GW) de sua meta global de viabilizar cerca de 7 gigawatts em projetos no período 2019-2022, como parte de seu plano estratégico.

Além da EDP Renováveis, a EDP tem presença no Brasil por meio da EDP Energias do Brasil, que controla ativos de geração, transmissão e distribuição de eletricidade. As empresas, no entanto, atuam de forma independente no país, com a EDP Renováveis focada em usinas eólicas e solares.

A maior atenção da portuguesa se dá em um momento promissor para energias limpas. Segundo dados da Associação Brasileira de Energia Eólica (ABEEólica), o Brasil passou de 1 GW de capacidade instalada em 2010 para 15,1 GW em 2019, distribuídas em 600 parques eólicos em 12 estados, somando 9,2% da matriz energética do país, com perspectiva de chegar a 19,4 GW em 2023 com o ritmo atual de incremento.