Notícias > Meio Ambiente
20 de março de 2014 - 07h26

Comgas prioriza tecnologia não-destrutiva para construir redes

Concessionária emprega o sistema em mais de 90% de suas obras

Fonte: Assessoria de Imprensa

A Comgas, maior distribuidora de gás natural canalizado do Brasil, investe pesadamente em tecnologias não-destrutivas de construção de rede. Noventa por cento das obras de infraestrutura subterrânea da concessionária são realizadas com a técnica de perfuração horizontal direcional (HDD), método que evita a abertura de valas e incorpora várias vantagens, inclusive de menor interferência ao longo da instalação da rede. O volume de obras da Comgas gira em torno de 100 km/mês com tubulações em aço e polietileno (PE).

“Os custos das obras com métodos não-destrutivos, caso do HDD, são bem próximos aos da abertura de valas, de forma que só usaremos os métodos destrutivos em casos especiais ou nos quais não podem ser adotados os métodos não-destrutivos”, explica Jefferson Chaves, Gerente de Obras Especiais e Alta Pressão da Comgás. No caso da escolha do HDD, o executivo lembra que essa técnica tem sido adotada em função de seu preço mais atrativo, pela facilidade de execução - principalmente nos centros urbanos - e pela presença de fornecedores qualificados. “Mesmo assim, outras opções poderão ser utilizadas, caso seja interessante para o projeto”, completa.

Parceira da Comgas desde 2013, a Intech Engenharia é uma das empresas que contribuem para o avanço da rede da operadora. “A INTECH tem atendido nossas expectativas. É uma empresa que já vinha com uma bagagem na utilização deste método no mercado e que se adaptou bem à nossa proposta”, explica Chaves. “A empresa se destaca pela aplicação do método não destrutivo, que é o seu ponto forte, e vem evoluindo nos demais serviços do contrato”, finaliza.

 

 

Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner

Desenvolvido e atualizado por Diagrama Marketing Editoral - Apoio editorial: Revista Grandes Construções. Reprodução apenas com permissão dos editores e com o devido crédito.

Segurança e Privacidade