Notícias > Construção
09 de novembro de 2017 - 01h01

Setor da construção quer mudanças em projeto de lei de licitações

Entidades da construção pressionam por mudanças no projeto de lei que deverá reger licitações e contratos da administração pública. Aprovado no Senado em 2016, o texto está na Câmara.

Fonte: Folha de S.Paulo

Uma das críticas da Cbic (câmara da construção), do Sinduscon-SP (sindicato do setor) e da Brasinfra (associação de infraestrutura) ao texto é a falta de garantias às empresas em caso de inadimplência de órgãos públicos.

Pela regra atual, a contratada pode paralisar obras após atraso de pagamento superior a 90 dias. O novo texto reduz o prazo pela metade.

"Ainda não se prevê multa por atrasos, a assimetria continua", diz Emir Cadar Filho, presidente da Brasinfra.

A possibilidade de editais obrigarem o vencedor a realizar o licenciamento ambiental também é questionada.

"O poder público deveria ser o responsável", diz Carlos Eduardo Lima Jorge, da comissão de infraestrutura da Cbic.

"O governo não deveria transferir o licenciamento às empresas e lavar as mãos", diz o advogado Lucas Sant'Anna, do escritório Machado Meyer.

Antes de ir a plenário, o texto passará por ao menos seis comissões da Câmara.

Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner

Desenvolvido e atualizado por Diagrama Marketing Editoral - Apoio editorial: Revista Grandes Construções. Reprodução apenas com permissão dos editores e com o devido crédito.

Segurança e Privacidade