Notícias > Construção
01 de fevereiro de 2018 - 19h24

Beijo’do viaduto das Valquírias

Governador Geraldo Alckmin acompanhou término da montagem das formas e armações da última aduela

Fonte: Assessoria de Imprensa

O beijo – quando as aduelas de cada lado se juntam e formam o viaduto – do Viaduto das Valquírias foi realizado dia 30 de janeiro, durante a presença do governador Geraldo Alckmin que acompanhou o término da montagem das formas e armações para a concretagem final. Segundo o gestor de Engenharia da CCR AutoBAn, Guilherme Baldassari, a concretagem deve acontecer a partir das 16h, quando a temperatura diminui, o que favorece o processo da cura do concreto. “Durante o lançamento do concreto, altas temperaturas prejudicam o processo de cura do concreto, por isso a opção por realizar este procedimento depois das 16 horas”, explica.

Desde agosto do ano passado a CCR AutoBAn – concessionária que administra o Sistema Anhanguera-Bandeirantes – trabalha na construção da estrutura sobre a Via Anhanguera, por meio da técnica Balanço Sucessivo, utilizada para vencer grandes vãos. O viaduto está sendo construído viaduto sem nenhum tipo de escoramento, apenas com o uso de treliças metálicas, que possibilitam o avanço das concretagens. “O equilíbrio é feito a partir da utilização das treliças, presas a cabos ancorados aos pilares provisórios e também da própria estrutura tensionada (aduelas), equivalente a um segmento da laje. Com o término de cada aduela ou segmento, as treliças avançam e uma nova etapa é feita, sucessivamente. O trabalho acontece de forma simultânea em cada pilar – e na mesma proporção e tempo – até que as aduelas se juntem e formem o viaduto, sem a utilização de escoramentos”, explica.

Com o término desta etapa, a Concessionária irá realizar, a partir de agora, a aplicação das barreiras de proteção, camadas de pavimento, juntas, telamento, sinalização horizontal, vertical e sistemas de iluminação.

Complexo Viário de Jundiaí

Desde o lançamento da obra, em 20 abril de 2016, as intervenções acontecem entre os quilômetros 55+900 e 61 da Via Anhanguera, divididas em duas fases. Na primeira fase, entregue em novembro de 2017, foram construídas as alças de acesso da pista sul (sentido interior-capital) da Via Anhanguera para a avenida Nove de Julho, com a implantação de dois viadutos, ponto de ônibus e ampliações/ordenações nas vias marginais sentido sul.

Já na segunda fase da obra está em execução a construção de um novo viaduto sobre a Via Anhanguera, na altura do km 59 da rodovia. Esta transposição, que vai ligar as avenidas Osmundo Pelegrini e Jacyro Martinasso, resultará em uma nova interligação entre os bairros Medeiros, Eloy Chaves e Fazenda Grande ao centro de Jundiaí.

A entrega total da obra está prevista para o primeiro semestre de 2018, de acordo com cronograma aprovado pela ARTESP (Agência de Transporte do Estado de São Paulo). O investimento total é de R$ 230 milhões, pagos com recursos da receita de pedágio e financiamentos.

Ficha técnica

Viaduto das Valquírias e melhoria das marginais

Empregos gerados: 280

Prazo contratual de entrega: julho/2018

Extensão do viaduto: aproximadamente 400 metros

Volume de concreto utilizado no viaduto: 7030 metros cúbicos – equivalente 1005 viagens de caminhões-betoneira de 7 metros cúbicos de capacidade

Total de aço utilizado: cerca de 1.300.000 Kg (1300 toneladas) e 9 quilômetros de cabos de protensão.

Técnicas aplicadas: Encontro Estruturado, Vigas pré-moldadas protendidas, Caixão Perdido em Balanço Sucessivo e Caixão Perdido sobre Cimbramento

Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner

Desenvolvido e atualizado por Diagrama Marketing Editoral - Apoio editorial: Revista Grandes Construções. Reprodução apenas com permissão dos editores e com o devido crédito.

Segurança e Privacidade